quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

VERDADEIRA ESSÊNCIA




e eu que me julgava pronta
medos espantados
temores abrandados
rancores desfeitos

certezas alcançadas
e eu que me julgava firme
emoções sedimentadas
desejos satisfeitos
amores calculados
caminhos definidos

e eu que me julgava sábia
palavras proferidas
fantasmas esquecidos
dúvidas resolvidas
vida programada

e eu que me julgava tanto
me vi despida de vaidades
quando noutro olhar pude ver
a mais pura essência
do que sou refletida

Ianê Mello

(18.12.13)

*
Foto de Anna Clea

2 comentários:

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Ianê. Muitas vezes os nossos julgamentos são totalmente equivocados, pensamos que temos o controle da situação de todas as coisas, quando nos deparamos com quem realmente somos e o que fazemos.
Basta um olhar, uma situação, para nos colocar em outro eixo, o da verdade de nós mesmos.
Beijos na alma e lindo e abençoado Natal e um maravilhoso 2014 para você e família.

Fernanda Oliveira disse...

Belo poema amiga Ianê !

Beijos em seu coração !

Fernanda Oliveira