segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

NO TEMPO CERTO





Lavrar o amor,
revolver a terra
... terra-mãe

Lavrar o amor...
enxada na mão,
ancinho e pá
Mãos em concha,
sementes despejar
em solo fértil

Regar de afeto
e sem pressa,
com o tempo certo,
ver dela brotar
pequenos frutos

Assim, a cada dia,
dia a dia, sem cessar
cuidar da plantação

O calor do sol,
a abençoada chuva,
dádivas naturais,
farão dela brotar
frutos de esperança
que a mão humana
dedicou-se a plantar
...
e, agora, no tempo certo,
os frutos poderá saborear.



Ianê Mello

Um comentário:

Tatiana Moreira disse...

O amor requer cuidados constantes...
Adubar a terra é a certeza de colheita farta!
Um abraço carinhoso