quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

INCOMPATIBILIDADE



  
Eu transpiro poesia
e você inventa um conto
Eu brindo ao amor
e você  chora a solidão
Eu digo o que sinto
e você cala em seu silêncio

Eu sonho mudar de vida
e você se acomoda
Eu nado em mar bravio
e você flutua em calmaria
A noite me acompanha
e você busca o dia 

Acordo em minha tristeza
e você me ignora
Em seu sono profundo
abraço minha angústia
Agarro o travesseiro
e me perco na sua ausência

Onde está a ponte
que liga nossos sonhos?
Onde está a estrada
em que nosso amor se perdeu?


Ianê Mello
(04.02.15)




2 comentários:

Patrícia Pinna disse...

Bom dia, Ianê. E essa incompatibilidade vai mesmo destruindo uma relação porque não é uma diferença comum que dê para tolerar, é algo muito além disso que é nocivo, destrói e como faz mal.
Viver um abandono na própria relação é triste demais, gera um vazio em grandes e graves proporções que quando vemos estamos tão distantes e a ponte em total ruína.
Parabéns.
Amei seu poema, fala demais ao meu coração.
Tenha uma semana maravilhosa de paz.
Quero o seu livro, cadê?

Solange Duarte disse...

mesmo assim, as diferenças se atraem e se completam..

bjs.Sol