segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Platônico Amor

Michelangelo




Se vivo mais de quem me queima e dana,
quanto mais lenha ou vento ou fogo acende,
tanto mais o que me mata me defende
e mais me contento onde mais me fere.


(in Michelangelo Poemas)



Amor platônico
dor latente
queima e arde o ventre
chama ardente
castiga e nele confere
o mais amar
do qual se alimenta
mais desprezado é
mais aumenta

Brilha qual paixão
flamejante
a distância inebria
o caro amante
que mal cabe em si
nessa tormenta

Lenha na fogueira
arde
quanto mais
se ausenta
deixando fogo
em brasa..

coração angustiado
de quem à ele
se apresenta


Ianê Mello

6 comentários:

Beto Palaio disse...

Bela "conversa" com Michelângelo... Uma escrita também escultórica, como a dele...

Solange disse...

Ianê..
perfeito como um diamante..
bjs.Sol

Ianê Mello disse...

Obrigada amor.
Sua opinião me é de grande valia.

Bjs.

Ianê Mello disse...

Solange,
sempre tão gentil.
Obrigada.

Bjs.

Marcelo Novaes disse...

Ianê,




A imagem que me vem, não tão platônica assim: quase ao alcance da mão, tantaliza.



Mas o próprio Platão parece que gostava das vias de fato.



Um beijo.

Ianê Mello disse...

Marcelo,

sim, amigo, tens razão.

Ao alcance das mãos...

Um beijo.