domingo, 25 de abril de 2010

A Solidão do Poeta

          
                                                                          

Para Mario Quintana



Ser poeta é minha maneira de estar só
De trasformar meu silêncio
em poucas palavras

que desprentenciosamente
rabisco num papel em branco
Se se transforamarão em belos versos

Não sei....

Nem me importa

São vindas da alma.

Não quero refletores em meu pálido rosto,
não quero glórias
Quero a verdade revelada,
a alma exposta, a falta de pudor

Colorir sentimento obscuros
Gritar ao mundo minha voz
Acordar a humanidade adormecida
Em sexo, drogas... desilusões



Ianê Mello


11 comentários:

Machado de Carlos disse...

Pois é, poema é assim mesmo. Uma reflexão independentemente do momento. Quando chega a idéia e temos papel e lápis, aí essa idéia fica gravada para sempre. Assim aconteceu comigo, quando estava em um ônibus de São Paulo para Ribeirão Preto, surgiu um soneto chamado Metades, não é plágio da Música de Montenegro, são versos marcados em decassílabos. (Risos!...) Escreva sempre!

Solange disse...

lindo...
passei pra matar a saudade..
bjs.Sol

Juan Moravagine Carneiro disse...

Ser poetaseja talvez ter a sensibilidade de separar o que é solidão do que é isolamento...É ser capaz de alterar profundamente o mundo como diz Rimbaud...e também o mundo que existe dentro de cada leitor...

Lara Amaral disse...

A poesia não é um show à parte. É uma reunião entre nós e nossa alma que alguns aparecem encontrando-se neste caos todo.

Beijo, querida, bom ler isso.

Zélia Guardiano disse...

Simplesmente lindo o seu poema, Ianê. Consegue traduzir muito bem o que vai na alma de um poeta...
Parabéns, querida!
Um abraço

Insana disse...

O medo da desilusão tem me deixado só, sozinha em meus pensamentos na minha dor, isto me fez amadurecer evoluir repensar valores desejos.
pessoas e pessoas

Bjs
Insana

Ianê Mello disse...

Obrigada à todos os amigos que aqui vieram e compartilharam esse poema.

Todos nós, companheiros de ofício, compreendemos bem esse sentimento aqui expresso.

À todos , meu carinho e agradecimento.

Fontoura. disse...

Você é realmente grande!
Parabéns!!

Mário Quintana!! :D

Ianê Mello disse...

Fontoura,

somos companheiros no ofício da escrita, da poesia.

Estive em seu blog e gostei muito.

Obrigada pela presença e adesão.

Bj.

Fontoura. disse...

nossa que legal!!
obrigado pelo interesse! e pelo elogio ^^
novamente parabens pelo blog! muito bom!!
bjo

Ianê Mello disse...

Fontoura,

por nada, você merece.

Mais uma vez obrigada.

Bj.