domingo, 2 de maio de 2010

Comunhão de Corpos




Desnudos
Desprotegidos
Transparentes
Na vertigem do momento
Entregues a beleza desse instante
Fugaz, porém intenso
Mãos, pele, lábios
Ouvidos, nucas, pernas
Odores, suores, química
Gestos, toques, abraços
Corpos embebidos em fluídos,
seus, meus, nossos
Sólidos, liquefeitos, etéreos
Encontro visceral
Sentidos aguçados
Enquanto lá fora
a lua branca brilha
iluminando nossos corpos nus
E quando pela cansaço vencidos
nos espamos do gozo que estremece,
deitamos, lado a lado, enternecidos
e o dia lá fora já amanhece.


Ianê Mello

7 comentários:

Lara Amaral disse...

Gostei da força, da linguagem... Muito bom, Ianê.

Beijo!

Sr do Vale disse...

Isso é muito bom e inspira.

Solange disse...

muito bom!!
bjs.Sol

Juan Moravagine Carneiro disse...

Bela dança de corpos e palavras suadas...

Machado de Carlos disse...

Somos Um

Estava preso na noite sombria;
Vieste com toda sede de quem ama...
Afloraram-se ardentes, loucas chamas!
Juntos, absorvemos a melodia!...

Testei teu sexo no ponto que ardia;
Beijei... Beijei, teu corpo de cigana;
Nos deleitamos na doce cama!
Fomos um só corpo em plena harmonia.

Embeveci e viajei no teu sorriso!...
Avancei, inteiro, num sonho colorido!
Lentamente, suguei tua anca fêmea.

Depois do amor, a paz não teve fim...
De mãos dadas passeamos no jardim
Descobrimos que somos almas gêmeas!...

Machado de Carlos

Ianê Mello disse...

Obrigada, amigos, pela presença e comentários.

Vejo que esse poema foi realmente inspirador...rsrsrs

Grande beijo à todos.

Ianê Mello disse...

Machado, meu amigo, com esse seu belo poema em resposta, tive a idéia de postá-los no "Diálogos".

Grande beijo.