sexta-feira, 21 de outubro de 2011

BEM VINDA



Eis que a verve poética
a mim retorna
como velha companheira
das noites insones
dos dias vazios
Por onde andou,
que caminhos percorreu
sem minha companhia,
não sei...

Hoje agradeço seu retorno
e que em minhas mãos vazias
novamente faça sua morada
em palavras, versos, verbo
minha voz se faça ouvir
pois que o silêncio
que em mim habitava
num despertar altivo
faz-se voz 


Ianê Mello

2 comentários:

Sandrio cândido. disse...

Ianê, seus ultimos poemas são bem reflexivos
beijos

Ianê Mello disse...

Verdade, Sandrio. Bom ter reparado.
Aproveito para dizer que sinto sua falta no grupo Livre Criar. Apareça.

bjs.