quinta-feira, 5 de maio de 2011

PALAVRAS LIBERTAS






as palavras ressoam
retornam ao branco do papel
tingem-no de escarlate
em sombras e deslizes
a mão percorre suave
embora atenta
guiada pelo lamento
que dentro se avoluma
permita, palavra
sua livre expressão
por este ser em conflito
inacabado e imperfeito
que em você ainda encontra
algum refúgio para a dor
que deveras assalta
uma alma atormentada
palavra... palavras...
não se apartem de mim
sejam meu verbo
minha voz entoada
o grito no escuro
o entalhe na carne
em carne viva exposta
palavra tingida
em sangue ungida
palavra que cura
remedeia a ferida
palavra que ganha

........

asas...



Ianê Mello

2 comentários:

MM - Lisboa disse...

Estou atenta!

Ianê Mello disse...

Grata pela atenção.
Bjs.