sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Lembrando Bukowski



Me canso fácil dos preciosos intelectos
Que precisam cuspir diamantes
toda vez que abrem as suas bocas.


Charles Bukowiski


Gosto do seu jeito direto
de escrever sem palavras rebuscadas,
nem idéias prontas e acabadas,
como uma interrogação que fica no ar
Como uma bofetada na cara,
um jato de água fria ...
para  quem dorme  acordar .
Denso no sentimento que abriga,
profundo em suas palavras,
como quem, pronto pra briga,
a qualquer momento, a qualquer hora
simplesmente vai embora
sem ao menos olhar pra trás
Sem medo de se acabar,
de sofrer ou de chorar,
mostra que é capaz
de respeito por si mesmo ter
pois quem age de igual maneira,
sempre pagando pra ver,
sabe que o resto é besteira
E as palavras, o que são
senão meios de expressar
o que sentimos, então
rebuscá-las para quê?
Mostrar que muito sabemos
não é prova de humildade
Basta sabermos e pronto
sem nos atermos a vaidades
Prezo pela autenticidade
de quem mostra a cara limpa
falando suas verdades
sem se importar com quem minta
Seja sempre, caro amigo,
essa pessoa distinta
que preserva seus valores
mesmo quando incompreendido
porque a coragem é uma virtude
que os fracos sempre invejam
Tenha sempre essa atitude
que cutuca e incomoda
como ponta de faca afiada
naquele que se acomoda
à antigos e passados valores
Não se preocupe com  nada
Espante os seus temores
E a quem incomodar possa
...que atire a primeira pedra.


Ianê Mello


Em seu epitáfio: " Don't Try" ( Nem Tente)


Charles Bukowski nasceu na Alemanha, filho de um soldado americano, ainda criança foi para os EUA. Teve problemas com alcoolismo e, apesar de ter realizado estudos superiores em literatura e jornalismo, trabalhou como frentista, ascensorista e motorista de caminhão. Começou a escrever poesias aos 15 anos, em 1935, mas seu primeiro livro saiu apenas 20 anos depois. Em 1962, estreou na prosa, caracterizada pela mistura de vida pessoal na literatura.

11 comentários:

Lara Amaral disse...

Seu poema ficou à altura!
Muito bom, Ianê!

Beijo grande para vc =).

reltih disse...

¡si! eso!! excelente!! tremenda conclusión.
besos

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ianê
Realmente a franqueza estampada em seu poema, nada de meias palavras e atalhos. É o olho no olho, o doa a quem doer Isso é ser transparente.
Beijos.

Ianê Mello disse...

Lara, Reltih e Wanderley,

fico feliz com a presença de vocês e agradeço os comentários.

Beijo grande à vocês.

HSLO disse...

É a primeira vez que passo aqui e confesso que gostei muito do seu blog, voltarei outras vezes.

Vou te linkar ao meu blog.



abraços
em tua alma.


Hugo

Ianê Mello disse...

HUgo,

seja bem vindo.

Volte sempre!

Beijos.

Elaine Barnes disse...

Uma beleza! Vejo você toda nesse poema. Parabéns! Sempre com coisas lindas e informações pra nós. Realmente ninguém pode atirar a primeira pedra. Excelente final de semana pra você. bjs

Ianê Mello disse...

Elaine,

aprendeu a me reconhecer em meus poemas, amiga.

Isso é bom!

Grande beijo e excelente fim de semana.

Fontoura. disse...

Excelente!!
Parabéns!! Gostei Muito! \o/

Ianê Mello disse...

Fontoura,

obrigada pela visita e comentário.

Bj.

Ianê Mello disse...

Fontoura,

seja bem-vindo.

Obrigada pelo comentário.

Bj