segunda-feira, 29 de agosto de 2011

CORA MENINA




Para Cora Coralina


Cora, Cora, Coralina
por dentro sempre menina
em seu sorriso a  candura
em seus atos a bravura
da interiorana mulher

Com suas mãos preparava
os docinhos mais gostosos
e com as mesmas compunha
os versos mais primorosos

Mexendo o doce no tacho
escrevendo em seu caderno
sua grande sabedoria
na simplicidade se revelava
na mulher de doces olhos
que a todos encantava.


Ianê Mello

2 comentários:

nacasadorau disse...

Tudo o que somos se revela no olhar.
Por alguma razão se diz que o olhar é o espelho da alma.

Obrigada pela visita.

Beijinho

Ianê Mello disse...

Eu é que te agradeço, Ná.

Bjs.