quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

O Avesso em Mim



Se por mim perguntarem
Diga que vivo o meu avesso
O que em mim negava 
e que de mim faz parte
Diga que é um recomeço
e que não temo a verdade

Como um tigre vivi sem garras
e por gato manso me tiraram
mas hoje soltei as amarras
e hei de saber que não gostaram

Nessa grande selva urbana
faz-se necessário defender-se
Há pessoas tão desumanas
que é preciso precaver-se

Mas como todo animal ferido
a docilidade se esconde
e por vezes um agudo gemido
é a forma com que ele responde

Se ainda assim quiser arriscar,
o que provará sua coragem,
aproxime-se bem devagar
e verás que em minha natureza selvagem
eu também sei o que é amar



Ianê Mello

14 comentários:

Sonhadora disse...

Lindo poema, retrata a maior parte da condição humana, infelizmente.

Sonhadora

Ianê Mello disse...

É verdade, Sonhadora.

Obrigada.

Beijos.

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Ianê
Somos dois pólos, usamos de um para nos defender, evitar sofrimento e outro para amar, fazer a vida mais leve.
Beijos

Ianê Mello disse...

É verdade, meu amigo Wanderley.

E você, quando aparece no Diálogos.

Sentimos sua falta.

Grande beijo.

Solange disse...

lindo poema Ianê..
como é bom ler vc..
bjs.Sol

Ana Tapadas disse...

Concordo plenamente com a Sonhadora!
Beijinho

Adolfo Payés disse...

Precioso.. cuando me detengo en tu blog.. haces que el día se maravilloso.. Un poema Excelente.

Un beso


Un abrazo
Saludos fraternos.

Ianê Mello disse...

Solange, Ana e Payés,

é um prazer tê-los como sensíveis leitores.

Fico feliz que apreciem meus escritos.

Grande beijo.

Nilson Barcelli disse...

A vida, por vezes, é uma selva.
Então não podemos ser mansos nessas ocasiões e temos que mostrar as nossas garras...
Mas, com amor, até as garras sabem acariciar com doçura...
Belo poema, querida amiga. Gostei imenso.
Um beijo.

Ianê Mello disse...

É preciso...


Muito obrigada, amigo Nilson!

Beijos.

Braulio Pereira disse...

olá Iâne

desculpe minha ausencia

tenho andado um pouquinho cansado sem tempo.
to precisando descansar


meu coraçâo está sempre com voce
e com todas amigas/os

lindo seu poema como sempre
seu coraçâo tece ternura.


beijos poéticos!!!

Ianê Mello disse...

Oi, amigo.

Tudo bem, eu entendo, também ando assim.

Estou procurando não me entregar.

Melhoras pra vc.

Bj grande.

Marcelino disse...

Porreta, moça!
Como cantaria Caetano: "Uma tigresa de unhas negras..."

Ianê Mello disse...

Valeu, Marcelino.
É isso aí...

Bjs