quarta-feira, 21 de julho de 2010

Afinal, o que é a liberdade?




É incrível perceber
que a tão desejada liberdade
é muito mais que fruto da imaginação
Quando a liberdade alcançamos
nem sempre sabemos o que fazer com ela
Como prencher espaços vazios, lacunas, ausências
Nos enganamos ao pensar
que para adiquirirmos a tal liberdade precisamos estar sós
A verdadeira liberdade não requer a ausência do outro
Porque a verdadeira liberdade está dentro de nós
Nós é que nos tolhimos, nos proibimos, nos castramos
a cada momento , a cada instante de nossa vida
E quando estamos sós e vemos o mundo à nossa frente
a primeira sensação é o medo da vastidão de possibilidades,
de assumir a liberdade de escolhas
Que caminho tomar, que direção seguir?
De onde vinham os grilhões , então?
Do outro que nos impedia , nos freava os impulsos
ou estariam eles arraigados em nós mesmos?
Quando nos vemos libertos da presença do outro
temos que olhar verdadeiramente para dentro de nós
Perguntar ao nosso coração quais nossos reais desejos e sonhos
A casa vazia, a ausência, o silêncio, a solidão...
São preços que pagamos pela liberdade externa
tantas vezes sonhada por nós
A convivência constante e profunda com nosso próprio eu
O enxergar no espelho nossa verdadeira face
É u processo longo e doloroso
Caminhos tortuosos tomamos, direções adversas, quantas
Mas é preciso aprender a caminhar pelas próprias pernas
Correndo riscos, experienciando coisas novas, crescendo
Só assim, errando para acertar,enfrentando o medo,
buscando a melhor direção, nos libertamos de nós mesmos
e descobrimos que tínhamos a chave da prisão todo o tempo
equanto delegávamos esse poder ao outro
Agora sim, isto vivido com intensidade, 
conheceremos, enfim, a verdadeira e almejada liberdade.




Ianê Mello

3 comentários:

AC disse...

Como disse, e bem, a liberdade tem a ver com todo um percurso interior na senda da espiritualidade.

Bjs

Solange disse...

temos que caminhar com nossas próprias pernas..
está difícil pra mim..mas estou caminhando pra isso..rs
bjs.Sol

Lídia Borges disse...

A Liberdade, senhora de todos os conflitos...
Queremo-la, mas nunca a teremos por inteiro.

Um beijo