sexta-feira, 23 de julho de 2010

Eu e a noite




A noite me devora
com seus olhos pardos
e meu corpo em brasa 
se entrega à volúpia

Em seus braços serenos
a imaginação cria asas
Explodem estrelas cadentes
iluminando o firmamento

Somos unas, a noite e eu
Cúmplices do mistério
As sombras não mais assustam
Tenho a Lua como companhia



Ianê Mello

6 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

A noite é ser
Em lua roll
Se a lua foice
Tu que ficou

;)

Ianê Mello disse...

Belo, amigo!

Bjs.

Lídia Borges disse...

Cumplicidades ao luar...
Enigmático!

L.B.

Ianê Mello disse...

Lidia,

Agradeço a visita e comentário.

Bj.

aluisio martins disse...

gosto desses labirintos... bom se perder com poesia boa. nao quero achar saída...

Ianê Mello disse...

Aluisio,

perca-se à vontade. Obrigada.

Bjs