domingo, 4 de julho de 2010

Toque de Cetim





Ao toque das mãos nuas sobre sua pele lisa
Sinto o arrepio a percorrer seu corpo
que estremece de prazer
Toco mais suavemente
e sinto ele relaxar pesadamente
nos lençóis de cetim vermelho
Sua pele branca que contrasta
com o vermelho sangue 
excita meus sentidos já aguçados
Percorro com minha boca úmida
cada centímetro de sua pele
Beijo, mordisco, passo minha língua de leve
Você está entregue...inteiramente
Nesse momento mágico
que se prolonga na madrugada
até o nascer de mais de um dia
com o sol a penetrar 
pelas frestas da cortina...
Amanhece.


Ianê Mello

5 comentários:

Amita disse...

Um poema muito lindo de uma terna sensualidade.
Gostei de cá vir. Agradeço o carinho das tuas palavras no meu blog.
Um bjinho e uma flor

Amita

Grata pela oferta do selo vindo da
poeta amiga "colcha de retalhos" cujas letras sempre admirei.

Insana disse...

Que o sussurrar do vento te deixe plena.

bjs
Insana

A.S. disse...

Ianê...

... amanhecer assim é amanhecer no Paraiso depois de uma noite de amor!
Belo... excitante... perturbador.. o teu poema!affff!!!

Beijosss
AL

Jairo Cerqueira disse...

Aí está a verdadeira sabedoria hormonal!
Bjs.

Ianê Mello disse...

Agradeço aos amigos a presença e os comentários.
Vocês alimentam minha inspiração.

Grande beijo.