segunda-feira, 19 de julho de 2010

Viajante do tempo





Noites insones se deitam
pela madrugada adentro
Olhos que se fecham
mas fica o pensamento
O vazio da cama
A ausência de um amor
Será que ele me chama
em algum lugar, seja aonde for?
Meu coração aquietou-se
no compasso da espera
mas uma voz não calou-se
brada pela primavera
Se possível fossse viver
amor puro e verdadeiro
gostaria de pelo menos poder
experimentá-lo por inteiro
Quantas esperanças depositadas
em quantos homens que amei
e por quantos fui amada
 na medida do que desejei?
Respostas não as tenho agora
e minha vida segue adiante
E para mim qualquer hora
serei sempre e eterna viajante
No tempo que transcorre
deixo  profundas  marcas para trás
mas não marcas de quem morre
e sim de quem vive cada vez mais.



Ianê Mello

6 comentários:

Insana disse...

Perfeita a sua emoçao.
bjs
Inasana

Ianê Mello disse...

Obrigada pela presença e comentário. Bj.

Solange disse...

eu me vejo nessas palavras, Ianê..

feliz dia do amigo!!
bjs.Sol

Jairo Cerqueira disse...

Um realismo otimista para aplacar qualquer pessimismo.
Ótima semana pra ti, Ianê.
Bj.

Ianê Mello disse...

Sol,
compreendo, querida.

Feliz dia do amigo!

Bj.

Ianê Mello disse...

Jairo,

obrigada pela presença.

Ótima semanapra ti também.
Bj.