segunda-feira, 28 de junho de 2010

Em busca do resgate





Humanos...
Humana sou
Humano és
Precisamos uns dos outros
Para que essa raça não se extingua
Querem destruir a humanidade em nós
Nos manipulam com frases feitas
com idéias preconcebidas
com preconceitos
compromessas inalcançáveis
Somos da mesma matéria orgânuica
Temos corpo e alma
E uma inteligência que pouco usamos
E uma sensibilidade que camuflamos
Usamos capas plásticas protetotras em nossos corpos
Máscaras pré-fabricados em nossos rostos
E quem somos afinal?
Esquemos quem somos
Perdidos em tantas capas e máscaras
Em tantos sorrisos falsos
Em tantas palavras malditas 
Em tantas palavras não ditas
Em tantos gestos perdidos
Em tantos desejos e paixões
Nos esquecemos  de nossa verdadeira natureza...
Nossa natureza humana.



Ianê Mello

12 comentários:

Machado de Carlos disse...

Parece que vivemos em época de robôs. A razão está ganhando o espaço da emoção. Acho que a maioria está se esquecendo que todos têm um começo, um meio e um fim. A maioria esquece que haverá um fim, isto é apenas uma lápide. Os que se acham mais importantes ficarão com um nome de rua, de uma praça, de uma rodovia, etc.
O amor deve ser vivido em tempo de vida ativa.

Helcio Maia disse...

Lutemos pelo humano em nós, defendamos nossos sorrisos, lágrimas... Percorramos sentimentos envergonhados, a vergonha de ser, a ditadura de ter, o jogo de aparências e disso consigamos afastar-nos, desprezar.
Humano...demasiado humano...

Ianê Mello disse...

Perfeito, amigos, é isso mesmo. Obrigada pela presença. Grande beijo.

Elaine Barnes disse...

Olá! Obrigada pela visita. No facebook só entro pra jogar buraco rs.. E o Davi é meu neto e não meu filho.Espero que tenha se curado dos problemas de saúde. Fique com Deus! Montão de bjs e abraços

AC disse...

O seu post é um autêntico manifesto à condição humana.
Oxalá este cantar voe alto!

Bjs

Ianê Mello disse...

Elaine,

saudades de suas visitas.

Grande beijo.

Ianê Mello disse...

AC,
fico feliz que assim o veja.

Que se espalhe esse cantar.

Beijos.

ju rigoni disse...

Perdidos sobretudo em nossas interpretações. Às vezes, perdemo-nos de nossa própria natureza. Muito lindo e pertinente seu poema. Amei!

Ianê, grata pela lembrança. Já o tinha visto ontem, quando entrei no reader, mas minha filha voltou do trabalho com pneumonia, e acabei não vindo aqui para agradecer. Havia deixado para hoje.

Mas ele já está lá, em minha página de memes e selos do Fundo. E agora pela manhã, reeditei meu último post para referenciar o presente, lincando-o.

Ianê, querida. Mais uma vez, obrigada pelo seu carinho.
Bjs e inté!

Otelice Soares disse...

Amei, amiga. Abstenho-me a maiores comentários para que não me torne repetitiva ante o teu texto, visto que nele está expresso o meu pensar, a minha visão diante deste mundão cheio de controvérsias, manipulações, camuflagens e muito pouco de real.Que bom, quando sabemos e reconhecemos corações como o teu regado por pura sabedoria.Por isso, o beijo, sempre.
Bjs no teu coração,

Ianê Mello disse...

JU e Lice,

obrigada pelo carinho .

Estejam sempre presentes.

Grande beijo.

A.S. disse...

Ianê...

Vim deliciar-me com as tuas palavras!

Beijosss
AL

Ianê Mello disse...

AS,

você é sempre bem-vindo.

Grande beijo.