domingo, 6 de junho de 2010

Meu Cantar





Minha voz grita na garganta
Minhas cordas vocais vibram
É amor puro, é prazer, é dom
Quando o som  reverbera no ar
Sinto minha alma se desprender
Meu corpo flutua
Meus pés se desprendem do chão
Sou acordes musicais,
dissonantes ou afinados
Por vezes um lamento
Por vezes com a força de um trovão
Nem sempre doce, mas com um quê de suavidade
É a minha voz! Sai de minhas entranhas
E como é bom sentí-la
Nem a todos agrado, bem sei
Mas o que mais me importa é a liberdade
de bradar aos sete ventos meu canto
O resto... é pura consequência
Não quero fama, não quero brilhos e paetês
Quero apenas mostrar um pouco de mim no que canto
Para quem quiser me ouvir...
Se quiser me ouvir


Ianê Mello


4 comentários:

Lara Amaral disse...

A emoção que se preza é a que nos causamos.

Beijo, querida, e curta a sua paixão!

IVANCEZAR disse...

Esse - é muito mais do que provável - que seja o melhor e mais significante dos cantos ...
o que precisa (sempre) ser cantado !
Bjs

Ianê Mello disse...

Ivan,
com toda certeza , meu amigo. Esse canto liberta. Grande bj.

Marcelino disse...

Ianê, há como vc fazer uma gravação e convertê-la para o youtube ou kepvid para postar no blog, adicionando a este belo decantar de ofício q fizeste no texto "Meu cantar"?