segunda-feira, 14 de junho de 2010

Budha em sua Sapiência





Me apego às tuas palavras sábias
neste momento de total desespero
Não enconto o caminho das pedras
Me perdi numa encruzilhada escura e sombria
Tento encontrar em seus ensinamentos
o que um dia há tempos já busquei,
um pouco de alento e paz de espírito
Não posso deixer de compreender
suas palavras de conforto e equilíbrio
És sábio em suas colocações acerca da vida
Apenas meu sentimento de tristeza imensa e solidão
não permite que as absorva da maneira devida:
com a alma e o coração abertos
Intelectualmente vejo sua sapiência
mas meu coração machucado
não me permite ir além da compreensão
Tudo é tão escuro, enevoado, sem cor
e embora saiba da existência ds flores 
nessa imensa estrada da vida
só os espinhos se fazem em mim sentir.


Ianê Mello





5 comentários:

Sonhadora disse...

Lindo poema...um belo momento de poesia.

Beijinhos
Sonhadora

Ianê Mello disse...

Obrigada, querida. Bjs.

HM disse...

Os sininhos tocaram minha alma, as palavras delicadas, as imagens com cheiro de jasmin... o tempo parou, seduzido pelos labirintos, pelos segredos que, se contados, deixam de sê-lo...

Que espaço aconchegante!!
Voltarei muitas vezes.

Ianê Mello disse...

HM,

Fico muito feliz com suas palavras.
Volte sempre,amigo.

Bjs.

Akhen disse...

Ianê

O poema é lindo.
O coração nunca machuca. o seu eu interior sim.
Limpe o escuro e deixe a Luz entrar.
Olhe para o relógio que tem abaixo do seu perfil.
A posição é a de lotus ou Padmasana.
Por meditaçã atingirá a sabedoria e a paz, "prajna".
Olhe para uma flor e tente ver o que está para além dela. É tão fácil ver a simplicidade da natureza nas pétalas de uma flor.

Paz e Luz no seu caminho