quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

Quando a lembrança se desfaz


Pintura de Sr. do Vale




Seu rosto se confunde em minha mente
Lembranças que guardei no inconsciente
Vagas e imprecisas em minha memória
De um tempo em que se fez história

E a distância se fez presente
no momento da partida
e em meio a despedida
o que era tudo ficou ausente

Tento em vão buscar em mim
nos  escondidos recônditos da alma
subterfúgio para a dor que enfim
cede lugar à solidão que acalma

E quanto mais o tempo passa
Olho para trás e acho graça
do que já sofri por amar demais
Amor que já não sinto mais

Hoje, sou minha própria companhia
nessa noite calma e fria
Com o coração sereno
livrei-me do seu veneno

A dor que muito doía
não cabe mais dentro
Em mim que a sentia
encontrei meu próprio centro



Ianê Mello



Diálogo Poético com Machado de Carlos.



Espírito Protetor


Ela vem com singular alegria!
Espalha suas rosas ao amanhecer!...
Enriquece, sem tributos, meu ser,
com a voz afetuosa de um bom-dia!

- De onde vem, anjo, cheio de melodia?!
- Teu verbo harmoniza o meu viver!
Quando a jornada chega ao anoitecer,
Ela vem e abençoa o fim do meu dia!...

À noite, ela volta, e parte pro além!...
Será o sorriso de mais alguém...
Que ainda não tem a luta por vencida.

Outro dia!... Vou atrás da felicidade
Procuro, de novo, a sua bondade!...
- Donde vem esta alma tão querida?!...



Participação de Machado de Carlos.

http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=1006



Inspiração: Pintura Sr. do Vale
http://particulasdosentido.blogspot.com

14 comentários:

Lara Amaral disse...

Ianê, esse poema é um verdadeiro mergulho nas lembranças do inconsciente. Como escreveste bem!

Beijos, moça.

Chica disse...

Lindo teu poema e blog!beijos,prazer em te conhecer!chica

Werner disse...

Wunderschöne Bilder hast du in diesem Post.

Liebe Grüße Werner

reltih disse...

ahhh, qué rico, cuando uno se encuentra.
besos

Machado de Carlos disse...

Espírito Protetor
http://ilove.terra.com.br/autores/texto.asp?idpi=1006

Ela vem com singular alegria!
Espalha suas rosas ao amanhecer!...
Enriquece, sem tributos, meu ser,
com a voz afetuosa de um bom-dia!

- De onde vem, anjo, cheio de melodia?!
- Teu verbo harmoniza o meu viver!
Quando a jornada chega ao anoitecer,
Ela vem e abençoa o fim do meu dia!...

À noite, ela volta, e parte pro além!...
Será o sorriso de mais alguém...
Que ainda não tem a luta por vencida.

Outro dia!... Vou atrás da felicidade
Procuro, de novo, a sua bondade!...
- Donde vem esta alma tão querida?!...

Ribeirão Preto, 10 de março de 2004.
10h36 min.

Ana Tapadas disse...

O blog ficou lindo!
Beijinho

Rafael Castellar das Neves disse...

É...vc se inspirou direitinho...fidelíssima...

Bjo..

Solange disse...

bonito amiga..
parabéns..
bjs.

Mirse Maria disse...

Maravilhoso poema!

A realidade de quase todas as mulheres.

O sonho que dá sempre certo quando o encontro é dentro da alma!

Parabéns, amiga!

Beijos

Mirse

poetaeusou . . . disse...

*
sublimes palavras,
,
o rosto da mente,
é o centro de mim . . .
.
Conchinhas,
,
*

Nydia Bonetti disse...

Também ando assim, Ianê: Sou minha própria companhia, coração quase sereno, mas ainda muito distante do meu centro. Às vezes até duvido que eu tenha centro. :)

beijo.

Ianê Mello disse...

Obrigada, meus amigos pelos carinhosos comentários.

A presença de vocês é muito importante para mim.

Fico feliz que tenham gostado.

Machado de Carlos, meu companheiro nos diálogos poéticos, mais uma vez brilhante.
Já postei junto ao meu.
Obrigada.


Rafael, Werner e Chica, sejam muito bem vindos e voltem sempre.

Nydia, querida, é claro que você tem um centro. Comj calma e persistência, você chega lá.

Grande beijo à todos.

Ernâni Motta disse...

Ianê,
Tomei a liberdade de publicar esse seu poema no meu blog. Espero contar com a sua compreensão.
Um beijo e um ótimo fim de semana para você.

Ianê Mello disse...

Ernâni,

fico feliz que tenha gostado ao ponto de publicar em seu blog, meu amigo.

Grande beijo e excelente fim de semana.