sábado, 19 de dezembro de 2009

A Leveza do Momento










Como a vida passa breve

Não sobra tempo pra nada

Temos que ser leves.



Ianê Mello






26 comentários:

AnaMar (pseudónimo) disse...

A vida é o que fazemos com ela.
não importa quanto tempo dura, mas a intensidade com que é vivida.

Beijo

Lara Amaral disse...

... e indeléveis...

=)

Beijos!

Braulio Pereira disse...

isso é sentir..
suave melodia.
ouvir..
linda melodia.

beijos ternura...

IVANCEZAR disse...

Ser leve em meio a um mundo permeado pelo peso - pela atmósfera carregada - eis um desafio ...
Ian - voce foi um acréscimo e tanto na vida e só isso valeu o 2009 - Quem em 2010 possamos continuar a alimentar essa deliciosa parceria. Feliz Natal amiga !

Wanderley Elian Lima disse...

É isso mesmo, para que complicar a vida se ela é tão simples, dar um peso que ela não tem.
Beijos

Adolfo Payés disse...

¨ O Natal é o momento de nostalgia, quando uma criança correndo no céu, e estrelas ascendentes foram perdidos, a esperança de conter a iluminação.
Espero que mais nascem com a criança partilha a esperança de iluminando o céu com a luz do seu amor, e reencontra seu céu de beleza, que cobre o mundo de esperança no futuro .. paz e solidariedade entre os povos. ¨ e amor
Adolfo Payés.

Desejo-lhe uma festa de Natal e ano-.. antigo maravilhoso com sua família ..

Beijo

Un abrazo
Saudações fraternas.

Você aprecia o fim de semana ..

Akhen disse...

Ianê

Eu falo do que penso que é a vida no Viajante, mas agora, mudei um pouco e digo que a "Vida é o instante que existe antes da eternidade" ou talvez seja "A viajem que começa na estação de Nascença e acaba na de Eternidade".
Leve ou pesada, somos nós que teremos que entendê-la.

Paz e Luz para iluminar os seus passos

Yara Beatrice Jasmin Nin Poulain Black Mamba disse...

Belo blog. Então, seu amigo secreto será presenteado com um vídeo-poema?

Inté

Ianê Mello disse...

Obrigada, Yara,pela visita e adesão. Fico feliz que tenha gostado.
Você me deu uma ótima idéia, sabia?

Já estou láno seu blog.

Inté.

Beijos.

Graça disse...

Gostei!

Ianê, desejo-te uma bom Natal, cheio de tudo o que te fizer feliz.

Um beijo meu e natalício.

Ianê Mello disse...

AnaMar,

a intensidade é tudo, por isso tem momentos em que temos que ter leveza.

Beijos.

Ianê Mello disse...

Lara,

você tem perspicácia, menina!

Grande beijo, querida.

Ianê Mello disse...

Braulio,

obrigada pelo seu carinho.

Beijos.

Ianê Mello disse...

Ivan,

faço minhas suas palavras.

Pessoas com a sua generosidade engrandecem nossa alma e nos fazem sentir mais humanos.

Com certeza nossa parceria se prolongará pelo novo ano que se inicia e teremos muitas trocas poéticas pela frente.

Feliz Natal, meu amigo poético!

Beijos.

Ianê Mello disse...

Wanderley,

vejo em sua expressão essa leveza e isso é muito cativante.

Acho que a vida por vezes é pesada, sim, mas cabe a nós saber lidar com as dificuldades para torná-la mais leve.

Volte sempre com seu sorriso.

Beijos.

Ianê Mello disse...

Paez,

que linda sua mensagem, meu amigo!

Que a esperança renasça e que o novo ano que virá nos traga gratas surpresas, muito amor e paz em nossos corações.

Fico muito feliz em ter compartilhado com você este espaço e espero que no ano vindouro possa continuar a contar com sua carinhosa presença.

Grande beijo, meu amigo.
Abraços fraternos.

Ianê Mello disse...

Jim,

eu compreendo.

Com certteza, meu amigo, nós temos que aprender a torná-la mais leve e feliz.

Beijos.

Paz e Luz!

Ianê Mello disse...

Graça,

obrigada pela visita.

Retribuo à você os desejos de um natal feliz e um novo ano repleto de paz e poesia.

Grande beijo.

Felipe A. Carriço disse...

Mas não leves o bastante para sermos errantes como penas.

Ianê Mello disse...

Felipe,

não para sermos errantes e levados ao sabor do vento, mas para sabermos tornar o pesado fardo, que por vezes se apresnta à nos, mais leve para carregarmos.

Entende?

Beijos.

Ana Tapadas disse...

Natal não pode é rimar com Carnaval...sim, é nostalgia...
feliz 2010!
bj

Ianê Mello disse...

Ana,

obrigada. Um natal de paz e que 2010 possa lhe trazer novas esperanças e realizações.

Beijos.

O Renascimento da Vênus - Mamafrei disse...

Sobre a efemeridade da vida, o que a torna ainda mais especial, oferto-lhe o poema A PONTE da poetisa potiguar Zila Mamede:

Salto escupido
sobre o vão do espaço

em chão de pedra e de aço

onde não permaneço

PASSO...

Ianê Mello disse...

Mamafrei

Olá, querida, que prazer recebê-la novamente no meu cantinho.

Lindo poema, amiga.

Vou postá-lo.

Beijos.

Marcelo Mayer disse...

temos tempo de nos infernizar. isso é fato!
belo!

Ianê Mello disse...

Marcelo,

bom vê-lo por aqui.

Já faz algum tempo...

Infelizmente, às vezes usamos o pouco tempo que temos de forma inapropriada e, de fato, nos infernizamos.

Beijos.