sábado, 24 de outubro de 2009

Nas Entrelinhas





Deixe-me só com meu silêncio
No escuro da noite me encontro
Nas palavras não ditas
Nas reticências e entrelinhas
No pensamento inacabado
No vazio de sentido
No passo descompassado
Na vida que é só minha

No escuro da solidão
Abro os olhos para a dor
Enxergo a mim mesma então
Na minha  forma inacabada
Na minha  certa imprecisão
No meu tudo, no meu nada
Em meu sofrido coração
Que de bater já cansado
Num pulsar acelerado
Abre espaço para o amor

E se por mim tens apreço
Faça o que te peço agora
Porque de certo mereço
Se a porta encontrar fechada
Bate e espera com paciência
Pois em minha eloquência
Desvendo meu coração
Mas há momentos que calo
Perdida na contramão
E preciso a tempo e hora
Encontrar minha razão



Ianê Mello



2 comentários:

Pan y vino disse...

"Deixe-me só com meu silêncio..." Muito bonito isso, tem um quê de Cecília Meireles, tem uma sonoridade linda. O texto todo.
Gostei muito do teu blog, dos recursos, das músicas, mas, acima de tudo, dos textos. Parabéns! 1

Ianê Mello disse...

Pan y vino

Agradeço sua visita e comentário.

Um quê de Cecília...é mesmo?

Fico feliz por isso, pois é uma de minhas poetisas favorita.

Que bom que gostou do blog e dos textos!

Seja bem vindo.