sábado, 24 de outubro de 2009

Restos de Amor




Não, não quero mais
tuas palavras de arrependimento
Tuas lamúrias, teus lamentos
Podia ser tão simples me querer
Pura e simplesmente por querer
Sem mais perguntas, sem respostas
sem agora, sem depois...

A toda hora


Complicaste o que era pra ser belo
Despedaçaste o amor que era teu
Agora...
...fiques quieto, não chores
Não brinques com meu sentimento
Não dá mais


Te levantes e vás embora
sem sequer olhar pra trás
E leves contigo agora
os restos desse amor

que ainda é teu



Ianê Mello





Eu te Amo (letra de Chico Buarque, música de Tom Jobim)

Ouça na voz de Ana Carolina:
 
http://literapurablog.blogspot.com




4 comentários:

Marcelo Novaes disse...

Ianê,




Ahhhh...., esses descompassos...








Beijos,










Marcelo.

Ianê Mello disse...

Marcelo,

quem já não os viveu, não?

O importante é procurar nos

descompassos, acertar o passo.



Obrigada pela visita.



Beijos

Felipe disse...

Era isso que eu ia falar... Hehehe Acho que alguém aí já passou por isso né... lembro aquela época... Que bom que já se resolveu... Aleluia! Porque viver de passado... só biblioteca! xD

Ianê Mello disse...

Lipe,

Você é uma graça...kkkkk

Beijão.