quinta-feira, 19 de novembro de 2009

Plenitude no Olhar


  
Limitado teu horizonte
pela fresta que vês
a inteireza da ponte
que te levará ao infinito

E em ti calas o grito
Como pássaro enjaulado
que tem asas pra voar
mas preso não quer cantar

Te libertes, então, pássaro ferido
mesmo que partida a asa
Teus olhos sabem o caminho
que te levará pra casa


Ianê Mello





10 comentários:

Multiolhares disse...

Dizem que os olhos são o espelho da alma,por isso devem mesmo saber o caminho
beijinhos

Ianê Mello disse...

Luna,


com certeza eles sabem, querida.

;)

Beijinhos

Nydia Bonetti disse...

Ianê

Fiquei impressionada! Você usou as imagens que mais gosto e que uso com frequencia: a ponte, o pássaro, as asas, o canto aprisonado, o grito, o sol... e os olhos. Ah... os olhos. Que um dia encontrem o caminho..

Lindo! Beijo.

Ianê Mello disse...

Nydia,

não percebeste que teu poema foi a inspiração?

Pura sintonia, querida!

Eles encontraram o caminho...é o percurso natural da vida.

Beijos

marinaCavalcante disse...

Belíssima estrofe,
esta última.

=] Gostei!

Um abraço, Ianê!
Espero sua visita!

Marcelo Mayer disse...

é como "quando não podia andar, tentava correr"
john lennon

Adolfo Payés disse...

Esa plenitud se siente..


Un gusto pasar a leerte..
un beso

Un abrazo
Con mis
Saludos fraternos...

Ianê Mello disse...

Marina,

feliz por sua presença.

Claro que a visitarei!
É um prazer.

Beijos, querida

Ianê Mello disse...

Marcelo,

É a eterna busca da auto-superação, de ultrapassar os próprios limites.

Como sempre, bela presença!

Beijos.

Ianê Mello disse...

Paez

Quando não se sente é muito triste.

Quando não se sabe ter olhos para ver e asas para voar, o que resta?

Obrigada pela presença carinhosa.

Un abrazo.