domingo, 29 de novembro de 2009

Vida que Segue





 
Fiz do canto

abrigo

Sem desencanto

prossigo


Ianê Mello



6 comentários:

Marcelo Mayer disse...

é como quebrar a telha do talhjado que um dia o abrigou, não? belo!

e desculpe, não sumi não. é que a semana foi corrida mesmo. e é foda ficar indo de blog em blog, lendo tudo que gostaria
mas to de volta
desculpe

bjs

Ianê Mello disse...

Olá, Marcelo,

não tem problema, eu entendo.

Eu sei que é complicado.

Comigo acontece o mesmo.

Que bom que está de volta!

Beijos.

Saulo Nunes disse...

Fiz do riso amargo pranto
No olhar sempre teus olhos
No peito aberto uma canção...
(elis)

Ianê sempre lindo oq escreve
bjo_na__alma linda!

Ianê Mello disse...

Saulo,

fico feliz por sua visita.

Obrigada pelo carinho.

Beijos.

Adolfo Payés disse...

Es un poema esplendido..

Un beso

Un placer pasar a leerte..

Un abrazo
Saludos fraternos...

Que tengas una feliz semana..

Ianê Mello disse...

Obrigada, amigo Paez,

pela sua sempre bela presença.

Un abrazo e uma semana muito feliz!