sábado, 14 de novembro de 2009

Poema...expressão da alma





Poetas que somos, em nossos versos expurgamos a dor, numa catarse.
E que bem faz esse dilúvio de emoções contidas, represadas pelo silêncio!                                                                                   
                                                                                                                            


 Ianê Mello





Quando se escreve com a alma
com as vísceras
o poema é puro sentir
Não importa a técnica 
a rima, a exata construção
O que importa é a emoção que vibra



É catarse da alma 
é sentimento que aflora
de dentro pra fora
colorindo em linhas 
o branco  e pálido papel
dando-lhe vida


E assim é belo
por sua crueza 
Sensibilidade expressa
à flor da pele.


Não há que julgá-lo
Se bom ou ruim
Não há que decifrá-lo
Há, apenas, que sentí-lo...

Ianê Mello


*Fotografia de Vadim Stein




Para Daisy Libório, em homenagem.
Leia: Dos tabus poéticos em "Fragmentos... todos meus" http://fragmentostodosmeus.blogspot.com


6 comentários:

Marcelo Mayer disse...

sempre nos fazemos do ódio e da solidão!

belíssimo!!!

Ianê Mello disse...

Obrigada, Marcelo!

Sempre bom te ter por aqui.

Beijos

Adolfo Payés disse...

Que sentido tu poema.. es hermoso

Es un placer siempre pasar a leerte

Un beso


Un abrazo
Saludos fraternos...

Que disfrutes del fin de semana..

Ianê Mello disse...

Grata, Paez!

Sempre feliz por tua presença.

Un abrazo.

Um iluminado fim de semana.

Daisy Libório disse...

Nosssa! Ianê! É de uma lisonja sem tamanho receber este carinho!

Muito obrigada e espero que minhas palavras possam ser tão sentidas quantos as suas são para mim!


Bjos mil!!!

Ianê Mello disse...

VoCê merece esse carinho, querida!

Seu poema me inspirou de fato e, então, fiz esse...

Acho que se complementam, não?

Com certeza que são, por isso me inspiram, porque me tocam.

Grande beijo.