segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Poeta do (a)mar







Poeta és, com certeza
No mar encontras a beleza
para teu singelo versejar
Tu és poeta do (a)mar


Em suas cálidas ondas
ou mesmo na arrebentação
compõe teus versos e sondas
nas profundezas da emoção


Teu versejar voluntário
acalma teu próprio ser
Viajante solitário
aprende a não fenecer


No sal das águas, o abrigo
que cura do corpo a dor
energizando os sentidos
preparando-o para o amor




Ianê Mello





Uma homenagem à " poetaeusou "

Ouça: Music of meditation - "Ocean"(New Age)   

4 comentários:

Pan y vino disse...

Iane, problema dos vídeos do Youtube é a demora no carregamento, às vezes as pessoas desistem, por isso sugiro que vc poste os poemas ao lado dso vídeos ou em outro local para apreciarmo-losn sem tanta demora.
Um abraço.

Ianê Mello disse...

Obrigada pela dica. Mas qual seria o outro local para fazer os vídeo-poemas?

É que gosto de usar essa variação, o vídeo-poema, para poemetos e poemas concretos, embora tenha todos eles postados no blog, em forma de post.

Um abraço e volte sempre.

Marcelo Mayer disse...

poetas se fazem da raiva, e do mar bravo se faz a coragem

Ianê Mello disse...

É verdade...

Interessante que o poema deste poeta que cito, me inspirou de uma tal forma...impressionante, foi no ato.

Há poemas que nos inspiram assim, né?

Beijos